terça-feira, 23 de junho de 2009

FANATISMO



Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver !
Não és sequer a razão do meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida !

Não vejo nada assim enlouquecida ...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida !

"Tudo no mundo é frágil, tudo passa ..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim !

E, olhos postos em ti, digo de rastros :
"Ah ! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus : Princípio e Fim ! ..."

Florbela Espanca
Livro de Soror Saudade (1923)

2 comentários:

Lailah disse...

Nossa, maravilhoso, poemas de Florbela espanca são como sempre muito bons :D Pena não serem muito conhecidos, pois deveriam ser lidos por todos para entenderem melhor ou pelo menos presenciarem o que é realmente um bom poema :D
Como sempre, poema muitos legal , blog super bacana!
beijos :*

diegudinho disse...

Nossa, eu escrevo também, nunca tinha lido nada dela, eu li e fiquei imaginando, tentando sentir o que ela sentiu ao escrever, vou procurar mais sobre ela, apesar d enão gostar muito do estilo.